segunda-feira, 14 de maio de 2012

DIA DAS MÃES, SÃO TODOS OS DIAS!!!

Um dia eu percebi que não podia mais fazer a minha agenda de acordo com as minhas vontades ou necessidades. Descobri que, de certa forma, eu não mais me governava e não tinha mais tanta autonomia sobre a minha vida. Não podia tomar banho na hora que quisesse, nem dormir a noite toda. Aliás, percebi que dormir um sono profundo e tranqüilo não dá mais, em hipótese alguma. Por qualquer coisa eu acordo, basta cair um lenço de seda no chão para que eu esteja de pé, pronta para proteger.

De repente eu percebi que eu não sou mais a primeira pessoa na minha conjugação, que as roupas da moda que eu procuro não são mais para mim, que xampus e perfumes de criança são sempre os primeiros a serem comprados e o espaço no roupeiro diminuiu com tantas peças pequenas tomando conta de tudo.

Descobri que dormir abraçada é muito bom, que sentir o cheiro do amor mais puro é a mais pura benção. Encontrei um sorriso que tem o poder de me fazer sorrir também, uma voz tão harmoniosamente agradável que me enche de vida e euforia. Mãos pequeninas que algumas vezes traquinam, algumas vezes criam, algumas vezes quebram e muitas, muitas vezes me enchem de carinhos. Olhinhos negros que me olham a fundo e que pedem ou agradecem sem que existam palavras.

De repente eu entendi a necessidade de dizer “não” ainda que vá fazer chorar a pessoa que mais amo nesse mundo. Percebi que as minhas palavras não são tão significantes quanto o meu exemplo, que os meus valores precisam ser vivenciados todos os dias em todas as ocasiões para que depois eu possa cobrá-los.

Descobri uma pessoinha que me lança 1.0000.0000.0000 de “porquês” por dia e que não se contenta com respostas sem lógica. Descobri uma pessoa muito parecida comigo e que por muitas vezes aparece diante de mim como um espelho, com o mesmo gênio, a mesma teimosia e a mesma determinação. E como eu aprendo com ele!

Descobri que indiferente do tamanho do trabalho, das noites acordadas, dos medos e dos desafios existe algo maior e que faz tudo valer a pena: amor. E falo de um amor pleno, sem cobranças, sem disfarces e sem meias conversas. Um amor que se alimenta apenas do próprio amor.

De repente eu descobri que nasci para ser mãe. E que por mais trabalho que esse ofício exija eu o desempenho com satisfação de quem tem consciência de que não poderia estar em outro lugar, fazendo outra coisa. Descobri que a alma se completa no abraço dele. Entendi que ele e apenas ele, consegue ir me salvar quando desço ao fundo do poço. Eu entendi que ele e eu sempre estivemos juntos mesmo quando ele não estava aqui e que nunca nos separaremos mesmo quando um dos dois partir.

Hoje eu descobri que ele veio da forma que eu sempre sonhei. Que veio menino, que veio DAVI e que nossas vidas se entrelaçaram muito antes do hoje.

Hoje eu entendo o tamanho do amor que a minha mãe tem por mim e a gratidão é imensa.

Eu sou mãe. Amo incondicionalmente. Amo quando ele faz o certo. Amo e sofro quando ele faz o errado. Educo. Repito um milhão de vezes a mesma coisa até que ele entenda. Enfrento o que precisar para ver seu bem. Sou coruja. Sou leoa. Sou doce e sou fera. Sou mãe. Feliz e amada.

Eu tenho um amor para toda a vida.
DAVI MEU AMOR POR TODA MINHA VIDA!!!
FELIZ DIA DAS MÃES À TODAS AS MAMÃES!


2 comentários:

  1. parabéns pelo blog!

    adorei....


    desejo que vc tenha uma vida inteira de dias felizes como mãe...

    meu carinho...

    Zil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho!!!! Desejo o mesmo de todo o coração!

      Excluir